vytre
Thiago Fróes – Diretor de produto, Igor Gontijo – CEO, Julia Abrahão – Diretora de inovação FOTO: Virgínia Pitzer

 

Origem da ideia

Inicialmente, Igor Gontijo, CEO da Vytre, pretendia desenvolver um marketplace para novas marcas de moda. No início do processo, durante o Lemonade, notou que empreendedores de moda são, em sua essência, criadores, e possuem pouco conhecimento nas áreas financeira, administrativa, comercial e de comunicação da própria empresa. Sendo a maior dificuldade a gestão da marca, e não apenas a venda, um marketplace não resolve o verdadeiro problema dos designers. Surgiu daí a ideia de adaptar o modelo das aceleradoras de startups ao mercado da moda, com o intuito de auxiliar e potencializar novas marcas.

Igor encontrou nos sócios Julia Abrahão e Thiago Fróes o know-how necessário para dar continuidade ao projeto. Os novos membros se interessaram prontamente pela ideia, pois já haviam observado, através da experiência na área, a existência do conflito entre o perfil criativo do designer de moda e o perfil técnico necessário para a gestão da empresa. Durante a competição foi identificada a necessidade de um membro especializado nas áreas administrativa e financeira e Paula Lanna, cujos conhecimentos e perfil empreendedor chamaram a atenção, completou a equipe.

Dor identificada

Designers de moda são, em sua essência, criadores. Aqueles que decidem empreender e constituir uma marca própria encontram grande dificuldade em conciliar o processo criativo com a gestão da empresa. Uma pesquisa recente concluiu que 46% das marcas de moda fecham as portas nos primeiros anos de atividade. Além disso, de acordo com um relatório do SEBRAE, as principais causas do fechamento dessas empresas são a falta de planejamento prévio, a dificuldade com a gestão empresarial e o comportamento pouco empreendedor. A maioria (61%) não procurou ajuda de pessoas ou instituições para abertura do negócio, e 88% contou com recursos próprios (pessoais/família) para abrir a empresa.

Para comprovar a existência do conflito entre o lado criador e o lado gestor de marca do empreendedor de moda, aplicamos 400 questionários com estilistas e designers de moda de todo o Brasil e realizamos 15 entrevistas presenciais. Notamos algumas características do setor e conseguimos validar com um percentual expressivo (64%) a dificuldade na gestão da marca. Foi detectado também o desejo de captar investimento para a marca (78%) e o desejo de remunerar uma consultoria na fase inicial do negócio através de share da marca e participação no faturamento em vendas (71%).

Solução proposta

Tendo validado a dor de mercado, legitimamos a viabilidade de adaptarmos o modelo de aceleração, muito popular no universo das startups, ao mercado da moda. Tal escolha se deu, principalmente, pelo objetivo central do processo de aceleração, que é o acompanhamento da gestão de novas empresas como forma de potencializá-las e prepará-las para o mercado.

A Vytre é uma aceleradora de marcas de moda cujo foco é capacitar e oferecer marcas com cunho inovador para o mercado. Aceleramos designers de moda que possuem diferencial de criação, propostas de inovação e perfil empreendedor. Oferecemos benefícios como: investimento inicial, estrutura de coworking, acompanhamento personalizado com definição de metas e prazos, conteúdo especializado, consultorias nas principais áreas de suporte ao negócio e gestão da área comercial da marca.

 

ISHI27-Facebook-icon

linkedin

email-icon

Site