Em um momento econômico delicado e chegando cada vez mais próximo da escassez de recursos naturais, o Brasil e o mundo estão se voltando para soluções que possibilitem o desenvolvimento a partir do compartilhamento, em detrimento da aquisição. A economia colaborativa é uma tendência forte em tempos de rede de contatos online. Foi de olho nesse viés que o Marco Aurélio Chaves teve a ideia de desenvolver a Aluagro – uma plataforma de aluguel e oferta de máquinas e implementos agrícolas. Segundo ele, a solução é inédita no Brasil. O negócio é um dos 10 finalistas do Lemonade do Triângulo Mineiro.

Equipe Aluagro
Equipe Aluagro

A Aluagro permite que produtores rurais com equipamentos ociosos possam alugá-los para aqueles que não os possuem e tampouco podem adquiri-los, facilitando o seu processo de produção e proporcionando rentabilidade àqueles que fizeram um investimento na compra dos equipamentos, que ficam ociosos em parte do tempo.

Para formar uma equipe ainda mais capacitada, Marco Aurélio Chaves, diretor de marketing, conta ainda com Márcia Malaquias, diretora de vendas, Celso Vilela, diretor de mercado e Adilmar Coelho, diretor de TI.

Durante o Lemonade a ideia foi desenvolvida, com estruturação de modelo de negócio e já foram efetuadas seis transações através do MVP manual. A Aluagro também já possui algumas parcerias firmadas, como com a NextAgro e com o Sindicato Rural de Capinópolis e Uberlândia.  A plataforma deve estar com a versão beta até o final de junho.

Marco é ousado e determinado. Entre os seus objetivos, ele quer catalogar todas as colheitadeiras do Brasil, além das demais máquinas e implementos que podem ser cadastradas na plataforma. “A gente moderniza a frota do fazendeiro, oferecendo maquinário moderno que ele não teria condições de comprar, aumenta a produtividade e a lucratividade dos produtores e elimina a ociosidade de maquinários e implementos, possibilitando circulação financeira para quem possui”, explica.

O triângulo mineiro representa 23% da produção de grãos de Minas Gerais, o que significa que por lá são produzidos mais de 2 milhões de toneladas ao ano. O giro econômico é relevante e o mercado é o ponto de partida da Aluagro, que pretende em breve atender também a essas demandas em outros países.